DST

Braga | Portugal

Este complexo-industrial, oferece verdadeiramente uma noção de bairro, na relação entre elementos, sectores, um sistema viário, relações de hierarquia e escala bem definidas e até no tratamento da periferia, da gradação da densidade construtiva e natureza das unidades instaladas. 

O projeto parte de um pavilhão que é dividido em quatro módulos de forma a albergar os departamentos de eletricidade, serralheria, mecânica e zona de cantina/balneários e ainda um edifício administrativo. Numa segunda fase delimita-se o território, nomeadamente através da construção de um elemento de entrada e da casa do guarda. Como resposta à necessidade de ampliar a serralharia, surge, numa fase posterior, um novo pavilhão e simultaneamente a necessidade de uma transformação global, bem como a elaboração de um plano geral capaz de suportar o crescimento inevitável da empresa.

Este projeto, para além da sua missão fundamental, deve também ser interpretado como um agente impulsionador de dinâmica empresarial. O projeto é acima de tudo flexível e, nesse sentido evolutivo, vai oferecendo e estimulando usos, espaços, organizações e junto desse impacto no seio dos promotores recebendo mais estímulos de crescimento. 

Fotos: © Pedro Lobo