CASA DA SÉ

Braga | Portugal

UMA CASA EM RUÍNA, NO CORAÇÃO DA CIDADE DE BRAGA, EM PORTUGAL, E UMA INTERVENÇÃO SENSÍVEL. UM LOTE COMPRIDO, QUE ATRAVESSA TODO O QUARTEIRÃO E QUE LIGA A RUA PRINCIPAL A UMA COTA MAIS BAIXA. UMA FACHADA PRINCIPAL A PRESERVAR E UM NOVO VOLUME DO QUAL RESULTA UMA NOVA CASA E O SEU PÁTIO, INTERDEPENDENTES, PORQUE À CASA URBANA LHE É PERMITIDO ASSIM O SEU ESPAÇO “NATURAL”. A CASA RESULTA DESSA RELAÇÃO, DESSA POSSIBILIDADE DE CONTROLAR O “SEU MUNDO”, AS SUAS VISTAS E O ESPAÇO EXTERIOR, SEM O CONSTRANGIMENTO DA RELAÇÃO DIRECTA COM O ESPAÇO PÚBICO, NO BULÍCIO DA URBANIDADE. SE DE UM LADO A FACHADA ASSUME A CONTINUIDADE DA RUA E DO SEU CARÁCTER BURGUÊS, DO OUTRO LADO O RECUO DO PÁTIO POR CIMA DA GARAGEM É UM VAZIO NO QUARTEIRÃO, “ESCAVADO” POR ENTRE EMPENAS.

A CASA FOI PENSADA TENDO EM CONTA A DINÂMICA FAMILIAR DOS CLIENTES E O VÍNCULO QUE OS UNE AOS FILHOS. O USO PLENO DA CASA É PERIÓDICO, NOS MOMENTOS DE REUNIÃO, NAS FÉRIAS E EM FESTAS. NO DIA-A-DIA É UMA CASA PARA UM CASAL DE HÁBITOS E ROTINAS CONSOLIDADAS, QUE EXIGEM SIMULTANEAMENTE ESPAÇO DE APROXIMAÇÃO COMO DE RECOLHIMENTO INDIVIDUAL E CUJAS NECESSIDADES EQUIVALEM AO USO DE MEIA CASA. O PROJECTO REFLECTE ESSA REALIDADE NA SUA ORGANIZAÇÃO E EXPRESSÃO ARQUITETÓNICA.

A RUINED HOUSE IN THE HISTORIC CENTER OF BRAGA, IN PORTUGAL, AND A SENSITIVE INTERVENTION. A LONG PLOT THAT RUNS ACROSS THE BLOCK AND CONNECTS THE MAIN STREET TO A LOWER ELEVATION. A MAIN FACADE TO PRESERVE AND A NEW VOLUME RESULTING IN A NEW HOUSE AND ITS COURTYARD, INTERDEPENDENT, BECAUSE TO THE URBAN HOUSE IS ALLOWED ITS “NATURAL” SPACE. THE HOUSE RESULTS FROM THIS RELATIONSHIP, FROM THIS POSSIBILITY OF CONTROLLING ITS “OWN WORLD”, ITS VIEWS AND THE OUTER SPACE, WITHOUT THE CONSTRAINT OF THE DIRECT RELATIONSHIP WITH THE PUBIC SPACE, IN THE HUSTLE AND BUSTLE OF URBANITY. IF ON ONE SIDE THE FACADE ASSUMES THE CONTINUITY OF THE STREET AND ITS BOURGEOIS CHARACTER, ON THE OTHER SIDE THE COURTYARD’S RETREAT ABOVE THE GARAGE IS A VOID ON THE BLOCK, “DUG” THROUGH GABLES.

THE HOUSE WAS DESIGNED TAKING INTO ACCOUNT THE FAMILY DYNAMICS OF CUSTOMERS AND THE BOND THAT BINDS THEM TO THEIR CHILDREN. THE FULL USE OF THE HOUSE IS PERIODIC, AT MEETING TIMES, HOLIDAYS AND PARTIES. IN EVERYDAY LIFE IS A HOME FOR A COUPLE OF HABITS AND CONSOLIDATED ROUTINES, WHICH SIMULTANEOUSLY REQUIRE APPROACH SPACE AS WELL AS INDIVIDUAL SPACE AND WHOSE NEEDS ARE EQUIVALENT TO HALF-HOUSE USE. THE PROJECT REFLECTS THIS REALITY IN ITS ORGANIZATION AND ARCHITECTURAL EXPRESSION.