MENU

CONTACTO

SEARCH

PROJECTOS

_

EM CURSO

TODOS

SOBRE CA

_

ATELIER

EQUIPA

CA DENTRO

_

LOJA

SEARCH

PORTUGAL

_

Largo de Santa Cruz, 506, 1 Andar 

4700-322

Braga Portugal


253 283 580


ca@carvalhoaraujo.com

SOCIAL

_

SEARCH

Image
Image
Image
Image
Image

EXPERIMENTAL

ESTADO

Concluído

CLIENTE

-

EQUIPA

Carvalho Araújo

Provisório
Braga, Portugal

EXPERIMENTAL

Status

Concluído

Client

-

DESIGN TEAM

Carvalho Araújo

1º acto


O primeiro foi um pequeno edifício de gaveto situado na zona da Sé de Braga. A localização era excecional. Existia um senão… O facto de estar inserido no centro histórico da cidade tornava todo o processo burocrático mais elaborado. O que poderia ser feito para tentarmos arranjar uma forma de rentabilizar e usufruir do espaço, durante o período alargado de espera da aprovação do projeto? A ideia era pensarmos em algo que fosse transitório. Partimos da única licença existente, a de restauração e apostamos num bar cujo nome só poderia ser “Provisório”! Teria que ser um investimento mínimo e contar com um grupo de parceiros que se entusiasmassem com esta proposta.


E a partir daí foi um desencadear de ideias e vontades. Porque não pintar tudo, mas mesmo tudo, de uma só cor? Mais do que um bar, seria uma instalação. Azul sulfato! Suficientemente provocador… No piso térreo o chão, o teto, as paredes, os equipamentos, as louças sanitárias, as torneiras, os interruptores, e tudo o que aparecesse diante dos nossos olhos transformou-se em azul sulfato.


2º acto


O 1º piso manteve a mesma linha de abordagem, gastos mínimos e uma só cor, desta vez o cinzento (o tom resultante de uma nuvem de fumo). Este piso transformou-se num espaço mais privado. Era dirigido a grupos restritos, no sentido de contornar o facto da área do café, localizada no piso térreo ser um sucesso. 


3º acto


O último piso era o remate desta instalação polémica, mas a que ninguém ficava indiferente. Este espaço deveria ser entendido como uma caixa de luz, totalmente branco. Um espaço imaculado, que contrastava com o ruído visual dos pisos inferiores. A luz que emanava do interior das janelas funcionava como uma espécie de farol, assumindo-se como uma referência de lugar.

CARVALHO ARAÚJO