MENU

CONTACTO

SEARCH

PROJECTOS

_

EM CURSO

TODOS

SOBRE CA

_

ATELIER

EQUIPA

CA DENTRO

_

LOJA

SEARCH

MORADA

_

ca@carvalhoaraujo.com

Largo de Santa Cruz, 506, 1 Andar 

4700-322, Braga Portugal
253 283 580

PRESS

_

dc@carvalhoaraujo.com


- Publicar algum projeto ou assunto sobre o atelier.
- Obter informações sobre os projetos para fins académicos, ou organizar visitas de estudo.
- Solicitar a participação do atelier em conferências ou outro tipo de eventos.

PROJETOS

_

jca@carvalhoaraujo.com

- Saber o que fazemos e como trabalhamos.
- Como encomendar um projeto.
- Propor alguma parceria ou investimento.

CANDIDATURAS

_

jobs@carvalhoaraujo.com

- Envio de candidaturas para estágios, emprego e colaborações.

SEARCH

Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

EQUIPAMENTO

ESTADO

Projeto

CLIENTE

Câmara Municipal de Loulé

EQUIPA

Carvalho Araújo

Joel Moniz

José Martins

Alexandre Branco

Helder Ferreira

Marta Machado

Marta Nogueira

Miguel Pereira

Hugo Carvalho Araújo

Inês Braga

Joana Nunes

Centro de Educação e Cultura de Quarteira
Quarteira, Portugal

EQUIPAMENTO

Estado

Projeto

Client

Câmara Municipal de Loulé

DESIGN TEAM

Carvalho Araújo

Joel Moniz

José Martins

Alexandre Branco

Helder Ferreira

Marta Machado

Marta Nogueira

Miguel Pereira

Hugo Carvalho Araújo

Inês Braga

Joana Nunes

O Conceito 


Não acreditamos na palavra “conceito” e, sobretudo neste projecto, defendemos a ideia de “processo”. Essencialmente porque a primeira preocupação é responder às especificidades do programa, garantindo a autonomia dos edifícios e a eficiência do complexo. A proposta tem como objectivo essa preocupação, num permanente equilíbrio entre desenho e imagem. A clareza da proposta é uma obrigatoriedade e, portanto, pode-se ler o projecto como uma mão com 4 dedos (volumes) que se articulam entre si. Esta mão reforça a ligação com o Parque Urbano. O “complexo pavilhonar” proposto vive dessa intenção e do contraste de um gesto sensual, de uma curva (do Foyer) perante a racionalidade dos volumes. 



Diálogo e Contradições 


Dentro da grande racionalidade dos edifícios e do programa incluso, há uma linha definidora da posição do complexo no terreno que avança desde a Av. de Ceuta, posiciona a Escola de Dança, liberta-se na forma curva definidora do Foyer - que também é uma praça -, desagua na administração e coloca em perspectiva a futura biblioteca. Este gesto traz o Parque Urbano para si, contribuindo para a dinâmica de relações, de usos e de apropriações, gerando fluxos alternativos e vividos. 

Esta linha desenha uma forma livre, inclusiva e coloca todo o complexo em diálogo mas em contradição perante a ortogonalidade dos volumes propostos. Um aparente momento de tensão que apela à leitura emotiva da proposta. Tudo se reflecte no seu interior num conjunto de opções variáveis que explora cirurgicamente os momentos que cada edifício deve conter em si e na sua relação com os próximos definindo, contudo, uma atmosfera comum. 

CARVALHO ARAÚJO